Airbus Military A-400M Atlas

Conhecendo o gigante A-400M Atlas por dentro

Roberto Valadares Caiafa
02/9/2013

 

O A400M Atlas MSN8 em voo durante o 50º Paris Air Show (Todas as fotos: Roberto Caiafa)

 

Conhecendo por dentro o Airbus Military A400M Atlas

 

No dia 18 de junho de 2013, a Revista Tecnologia & Defesa, atendendo a convite da Airbus Military, conheceu em detalhes o primeiro exemplar de produção do Airbus A400M Atlas destinado a Força Aérea da França (Armée de l'Air - ADLA), e designado MSN8Na ocasião, jornalistas de mais de 20 países puderam ver em detalhes as características únicas da aeronave, apresentada durante o 50º Paris Air Show em Le Bourget por Bruno Sainjon, diretor de operações da Direction Générale de l'armement (DGA), órgão do Ministério da Defesa francês, pelo general Denis Mercier, chefe do Estado Maior do ADLA, e por Cedric Gautier, chefe do programa A400M na Airbus Military. Três dias depois (23/06), o presidente da França, François Hollande, em companhia do seu ministro da defesa, Jean-Yves Le Drian, também voou o MSN8 no último dia do evento. Após a conclusão dos voos de certificação final do tipo, previstos para serem realizados ao longo de 2013, espera-se que os dois primeiros exemplares franceses, entregues na configuração EIS (entry-into-service) possam realizar voos de longo curso apoiando o esforço logístico das tropas da International Security Assistance Force (ISAF) no Afeganistão.

 

 

Na foto, Cedric Gautier, chefe do programa A400M na Airbus Military, general Denis Mercier, chefe do Estado Maior do ADLA e Bruno Sainjon, diretor de operações da Direction Générale de l'armement (DGA) apresentam o primeiro A400M Atlas francês.

 

 

A sofisticada cabine de pilotagem do A400M reúne o que existe de mais avançado no conceito glass cockpit (seis telas LCD coloridas), sidesticks de comando laterais, preparação para uso de NVG, sistemas avançados de navegação, gerenciamento de voo e autodefesas passivas e ativas, ergonomia e confiabilidade de sistemas (Foto: Roberto Caiafa / Arte: Marcos Junglas)

 

O overhead panel do cockpit do A400M Atlas MSN8

 

Criado para atender as futuras demandas de transporte aéreo estratégico dos países europeus da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN/NATO), o Airbus A400M Atlas passou por um longo e conturbado processo de gestação e desenvolvimento que remonta ao início dos anos 80, quando era conhecido como Future International Military Airlifter (FIMA). Na sua forma atual, o programa foi lançado em 2003 pelos parceiros França, Alemanha, Itália, Espanha, Reino Unido, Turquia, Bélgica e Luxemburgo, e teve seu primeiro voo realizado em dezembro de 2009. O A400M foi projetado para substituir os veteranos Hércules e Transall C-160 mais antigos, sendo classificado como uma aeronave intermediária entre o Lockheed C-130 e o Boeing C-17 Globemaster III, na faixa de 37 toneladas de capacidade de carga. Após muitas mudanças, o motor escolhido para o avião foi o Europrop TP400-D6 turboélice, com 8.250 kW (11.060 HP) de potência cada (quatro por aeronave) conectados a hélices propulsoras de desenho inovador com oito pás da Hamilton Sundstrand. Capaz de utilizar pistas rústicas semi-preparadas de linha de frente, o A400M foi pensado como um transporte militar de cargas, tropas, paraquedistas, evacuação aeromédica, reabastecimento em voo e várias outras missões. Comandos de voo fly by wire e avançados sistemas de gerenciamento de missão, autodefesa e navegação conferem ao modelo um desempenho superlativo em combate com avançada probabilidade de sobrevivência em cenários exigentes repletos de mísseis terra-ar e emissões eletromagnéticas diversas. Para este fim, a aeronave dispõe do Multi-Colour Infrared Alerting Sensor (MIRAS), desenvolvido pela EADS e Thales.

 

 

O amplo compartimento de carga do A400M possui 18 metros de comprimento, quatro de largura e quatro de altura, e a porta rampa de carga traseira mede cinco metros.

 

 

A enorme porta rampa de carga traseira (acima e abaixo) mede cinco metros de comprimento

 

 

 

O interior do A400M é todo QC (quick change), sendo possível ver na foto detalhes da montagem de seis macas para remoção de feridos

 

 

Detalhe dos assentos para as tropas embarcadas (acima e abaixo) de pequeno peso e grande resistência

 

 

 

 

Porta direita utilizada para o lançamento de paraquedistas

 

Os dois lavatórios na parte dianteira do compartimento de cargas, logo abaixo do flight deck da aeronave

 

O compartimento de carga da aeronave, sua razão de ser, possui 18 metros de comprimento, quatro de largura e quatro de altura, e a porta rampa de carga traseira mede cinco metros. O MSN8 estava configurado com 118 assentos para transporte de tropas de concepção extremamente leve e baseado no uso de tecidos reforçados, e mais seis macas para feridos e equipamento de suporte de vida básico, embutido nas paredes da fuselagem interna dianteira. Todo o interior do A400M é preparado para ser rapidamente convertido (quick-change), e apresenta diversos pontos de ancoragem e fixação de equipamentos dos mais diversos. O posto do loadmaster, localizado a vante (a esquerda da escada de acesso à cabine de voo), utiliza recursos de alta tecnologia para uma eficiente e rápida operação de carga e descarga da aeronave, incluindo missões de reabastecimento em voo. O Atlas também pode ser reabastecido com o uso de uma sonda instalada na parte superior da fuselagem frontal. O posto de pilotagem, totalmente glass cockpit, faz uso de sidesticks de comando laterais e está preparado para o uso de visão noturna (NVG). A moderna aviônica do Atlas está um passo a frente da maioria das aeronaves de transporte militar em utilização. Os motores Europrop TP400-D6, montados em asas de fibra de carbono reforçadas com plástico (CFRP), giram em direções opostas aos pares, o que proporciona mais sustentação e diminui consideravelmente qualquer tendência de assimetria em caso de falha dos motores externos. Essa motorização proporciona uma velocidade de cruzeiro de 780 km/h (480 mph).

 

 

Detalhe do motor TP400-D6 interno da asa esquerda do MSN8 (acima) e close do sistema de exaustão dos gases do motor (abaixo)

 

 

 

Os motores Europrop TP400-D6 giram em direções opostas aos pares, como se pode ver nesta imagem

 

 

Acima, o compartimento da RAT (turbina aeólica de emergência), no compartimento do trem de pouso principal esquerdo (abaixo)

 

 

Atualmente, o programa A400M registra 53 encomendas firmes da Alemanha, 50 da França, 27 da Espanha, 22 do Reino Unido (que adquiriu quatro Boeing C-17 para cobrir o gap até o início das entregas), 10 da Turquia, 7 da Bélgica, 1 para Luxemburgo e 4 para a Malásia (pedido colocado em dezembro de 2005), totalizando 174 aeronaves. O Chile, que anteriormente havia assinado um MOU para adquirir três aeronaves, parece ter desistido desta encomenda em favor do novo KC-390 da Embraer Defesa e Segurança. A África do Sul (anunciada como parceira industrial do programa em 2004) pretendia adquirir oito exemplares, mas estes acabaram cancelados em 2009 com a alegação da crescente escalada de custos do projeto.

 

 

O Airbus Military A400M Atlas em voo no 50º paris Air Show (acima e abaixo)