Marinha e o PROSUB (UFEM)

Unidade de Fabricação inaugurada

Roberto Valadares Caiafa
03/3/2013

 

Por 7,8 bilhões de reais

Marinha do Brasil inaugura Unidade de Fabricação de Estruturas Metálicas (Ufem)  em Itaguaí, RJ

“A inauguração faz com que o Brasil entre no seleto grupo de países que têm submarinos de propulsão nuclear – e que, similarmente, integram o Conselho de Segurança das Nações Unidas”. A avaliação foi feita pela presidente Dilma Rousseff, nesta sexta-feira, em cerimônia de inauguração da fábrica que integra o Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB) e reaquece a indústria naval brasileira. O ministro da Defesa, Celso Amorim, que participou da solenidade, endossou o discurso da presidenta Dilma. Amorim lembrou que o Brasil tem incrementado sua indústria de defesa e, como resultado, o setor tem proporcionado a geração de milhares de postos de trabalho. O ministro lembrou também a recente vitória da Embraer para a venda de aviões Super Tucano aos Estados Unidos.

“Estamos todos emocionados em poder estar aqui numa obra que é símbolo desse Brasil que está sendo criado”, afirmou. No discurso, Dilma Rousseff enfatizou o empenho da empresa Odebrecht, que ergueu a estrutura física da obra. “Junto com o programa nuclear da Marinha, se cria um polo de referência baseado nesse contrato que nós firmamos com a França em dezembro de 2008 com o objetivo garantir a transferência de tecnologia e a formação de profissionais brasileiros na construção de submarinho”, contou.

A Marinha do Brasil inaugurou a Unidade de Fabricação de Estruturas Metálicas (UFEM), no município de Itaguaí, no Rio de Janeiro (Fotos: Stuckert Filho/PR)

Coube ao comandante da Marinha do Brasil, almirante Julio Soares de Moura Neto, elencar as características do programa de construção de submarinos naquela base.  O empreendimento iniciado em 2011 prevê investimentos de R$ 7,8 bilhões de reais e deve estar concluído em 2017, quando entrará em operação o primeiro dos quatro submarinos convencionais. O PROSUB vai empregar nove mil pessoas e produzir outros 32 mil postos de trabalho indiretos.

Seção de qualificação de processos da UFEM (acima)

Um dos imensos prédios das unidades que compoem a UFEM (abaixo)